Tendências em Jeans, Denim e Brim
Vicunha Têxtil

8º CONCURSO MODA INCLUSIVA: Looks funcionais e tecnológicos levam premiação

18 de Outubro de 2016

O estilista Eduardo Inácio, de Campo Grande (MS), foi o grande vencedor do 8º Concurso Moda Inclusiva, evento promovido pela Secretaria do Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência, que busca estimular a criação de soluções funcionais na moda para esse público. Instrutor Técnico do Vestuário da Fatec Senai (MS) e criador da Cru Customização, o estilista venceu o primeiro e o segundo lugar, com dois looks que favorecem a ergonomia e praticidade. Os dezoito finalistas da nova edição exibiram as suas criações em desfile no último sábado (15), no Parque da Água Branca.

O look vencedor, intitulado Solar Power, trouxe uma solução feminina focada na tecnologia. Uma jaqueta preta produzida com o denim premium Marina Black II, com efeito flamê e de toque macio, exibia ilhós para acomodar fones de ouvido e painéis solares que possibilitam carregar aparelhos portáteis. Além disso, a peça possui aberturas em zíper com argola nas laterais e capuz com a possibilidade de embutir na gola. O estilista criou também uma camiseta oversized, com abertura de botões de pressão nos ombros e calça com cinto interno e pences nos joelhos. Todas as peças traziam leitor QR CODE com áudio descrição das funcionalidades e etiqueta em braile.

Em segundo lugar, ficou o look masculino do estilista campo-grandense, batizado de Solar Energy. Seguindo a mesma proposta de conforto e modernidade, Inácio criou uma jaqueta funcional trabalhada em patchwork, que uniu recortes do brim Sharon, com brilho sutil e aspecto de couro, a retalhos de denims. “As peças foram trabalhadas com o conceito de upcycling, então usei jeans com aparência rústica, como se fosse reciclado”, explica. O denim Flick, super leve e com efeito de textura de pequenos quadriculados, foi a aposta para o forro da peça, tornando a criação ainda mais descolada.

É a segunda vez que Eduardo participa do Concurso Moda Inclusiva. Na edição de 2015, o estilista foi o terceiro colocado, com look inspirado nos cordéis retratados pela xilogravura, composto por blazer e macacão com aberturas laterais de zíperes que facilitam o vestir.  “O primeiro concurso foi um divisor de águas na minha vida profissional, pois encontrei o público com que desejo trabalhar. Ganhar o primeiro e segundo lugar, nesta edição, mostra o reconhecimento de um trabalho que exige muita dedicação e ver que as peças realmente atendem às necessidades dos modelos é muito gratificante”, conta o estilista.

Eduardo recebeu metragens de tecidos Vicunha, uma forma de incentivo da empresa às criações apresentadas, e fará um mês de estágio remunerado na fabricante. “Eu possuo formação técnica em fiação com ênfase em beneficiamento têxtil. Por isso, um mês de experiência na Vicunha vai enriquecer muito o meu conhecimento. Acredito que será supreendente”, finaliza.